quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

As Aventuras de Leão #01

Abro uma nova série de posts aqui no blog: "As Aventuras de Leão".
Por quê?
Porque acho que se minhas aventuras começaram NA PRIMEIRA semana de aula de jornalismo, imagine como será no futuro.

Enfim...

Hoje tinha tudo para ser mais um dia ordinário, acordando às 5:55 da matina, pegando Metrô CHEIO, caminhando 10 minutos até a faculdade... Tudo lindinho.
Então, começou a aula de Estudos Sociológicos para Jornalismo.
No meio da aula entrou um homem e pediu licença para a professora. Ele começou com a seguinte pergunta:
- Quem aqui foi no teatro esse ano de 2013?
Três pessoas levantaram a mão.
- E quem aqui gosta de teatro?
Maioria absoluta levantou a mão.

Ele começou a apresentar um projeto sobre descontos em teatros, cinemas e otras cositas mas.
A galera foi a loucura, né?
Uma sala de Jornalismo com desconto em teatro? noooossa. Todos piram.

O preço era R$25 no primeiro mês, e SE você gostasse, faria o cadastro e pagaria R$50 por mês até o final do ano.

Havia três homens dentro da sala com máquinas de cartão de crédito e dinheiro vivo para dar troco. Eles nos davam um cartão e uma revista com a programação do mês. Ótimo! Tinha até escola de música.

Metade da sala pagou, a outra metade (sem dinheiro) colocou o endereço num papel para esperar o boleto bancário em casa. Eu fui uma dessas sem dinheiro.

Assim que terminaram, os três saíram da sala dizendo que estariam no andar de baixo.



No segundo seguinte uma pessoa da nossa sala se levantou e disse que aquilo não era bem o que estava sendo vendido. Ela já conhecia o serviço e disse que era uma porcaria, um trambique.
Nós havíamos assinado os papéis porque confiamos, né?
Alguém vendendo algo dentro da faculdade, dentro da SALA DE AULA...!
Saímos da sala voando. Queríamos encontrar os homens e cancelar tudo.

Mas cadê eles?

Simplesmente sumiram.
Corremos até a coordenadoria e informamos o ocorrido. Para nossa surpresa, eles estavam lá dentro SEM o conhecimento da faculdade! Ou seja, eles entraram infiltrados como alunos.
Ela nos encaminhou aos seguranças. Falamos com o chefão da segurança e eles simplesmente "não tinha o que fazer por nós".
Ótimo.

Aqueles trambiqueiros tinham o número dos nossos documentos, celular, e-mail e o pior é que muita gente tinha pagado!

O que fazer?

Tentamos ligar no lugar, mas só dava ocupado. Tentamos muitas vezes, de muitas maneiras... Mas nada.
Resolvemos ir pessoalmente no lugar, que ficava na República.
Ótimo. Saímos da faculdade e fomos até a estação República.

No meio do caminho encontramos um grupo de policiais e contamos o ocorrido. Ele nos orientou muito bem, dizendo que deveríamos ir até o local e tentar resolver tudo de maneira tranquila... Se não desse certo, desceríamos a rua e faríamos um Boletim do Ocorrência.

Simples assim.

Chegamos ao local e lotamos a pequena recepção. A secretária ficou assustada com aquela multidão.
Nos encaminharam para algumas salas em pequenos grupos e resolveram o problema.
O dinheiro será devolvido às pessoas que pagaram até segunda-feira.

Mas fica a dica aí pra vocês.
Não comprem esse negócio de "Arte e Lazer - incentivo à cultura".




Beleza.
Voltando para casa, a bateria do meu celular acabou e eu não consegui ligar para minha mãe (ela me busca no metrô), e eu tive que pegar um ônibus para voltar.
Cheguei, coloquei o celular pra carregar e fui dormir.
Acordei às 2 horas e fui para o curso de inglês. Só que meu curso é das 4 às 5.
Por que eu fui tão cedo? Você decide.

Voltando para casa, descobri que tinha esquecido as chaves de casa.
Tive que esperar minha mãe voltar pra casa. Ou seja, só às 6:20.

Cara. Hoje fui um dia cansativo. '-'
Mas aprendemos uma coisa amiguinhos!
NÃO-CONFIE-EM-DESCONHECIDOS.



Hoje fizemos progresso.


2 comentários:

  1. Brincar com jornalistas não é uma boa...

    ResponderExcluir
  2. Tem cada coisa que acontece com a gente que nem dá pra acreditar !
    xoxo

    ResponderExcluir